Category Archives: Confissão

Love triumphs over cheesiness

Eu estava esperando Juliana e meu filho subirem para o quarto após o parto. Liguei a TV e estava passando a vinheta de Barriga de Aluguel. Olha, Aguenta, Coração é uma música bem melosa, mas como não me afetar? Bastava até retirar alguns versos da música que ela se encaixaria perfeitamente no momento: E agora […]

Sobre uma moça siliconada

Vi na televisão a história uma moça que fizera vários implantes de silicone. Em minha opinião, ficou com seios grotescos, mas essa não é uma posição unânime, porque a moça fez sucesso com seu busto avantajado. De qualquer forma, em alguma das várias cirurgias a jovem acabou sofrendo uma infecção com alguma bactéria perigosa, colocando-a […]

Medo

Frequentemente, tenho medo. Não há razão para o medo; digo, nenhuma razão específica. Apenas sinto a contração do estômago, os calafrios sob a pele e um tremor de pernas. Há, sim, razão para o medo, mas a razão está sempre lá: a possibilidade da escolha errada, a irreversibilidade das atitudes, o risco no próximo passo. […]

A terceira metade da verdade

Certa vez, disse que até achava a Veja é uma boa revista, embora com alguns problemas. Meira da Rocha respondeu que entre os problemas estava “inventar coisas que não aconteceram e colocar na boca de entrevistados coisas que eles não disseram” Até concordo. Não sei quantos casos de distorção de fatos ou entrevistas houve na […]

Quem é quem na briga do bar

Certa vez, fui detido por engano; à época, tinha dezesseis anos e morava na periferia de Taguatinga. Estava em um quiosque, tomando um refrigerante, quando um bêbado e um garçom saíram no tapa, com facas e tudo. Apartados os dois, o lugar esvaziou. Eu mesmo fui embora. A polícia, porém, foi atrás do bêbado que, […]

O circo das ideias

Quando vejo debates, me assusto. Não tenho mais paciência para defender ideias. Cada vez que uma minha opinião recebe uma crítica plausível, menos a aceito. Os debatedores defendem suas teses, mas, para mim, minhas teses devem se defender sozinhas. Nâo me identifico por minhas ideias e tento me desapegar das teorias às quais ainda tenha […]

Disciplina

Sempre fui CDF. Adorava ler e estudar. Frequentemente, era rotulado como o melhor aluno da escola. Sempre fui excessivamente caxias, e já fui bastante religioso. As pessoas me viam como alguém disciplinado e esforçado; eu era um exemplo a ser seguido. Na verdade, nunca fui disciplinado. Tinha – e ainda tenho – dificuldade de agir […]

Bizarro

Descoberta do dia: “bizarro” significa – ou ao menos significava – “elegante, garboso, distinto“. Usar “bizarro” como sinônimo “extravagante, esquisito, grotesco, excêntrico” é um galicismo. Esta é uma das razões dos meus atrasos no trabalho e nas aulas matinais. Não consigo resistir a procurar uma palavrinha no Houaiss nas manhãs, ao sair do banho…

Domingão

De vez em quando, um bom domingo, para mim, precisa apenas de minha conta na Wikipédia, meu Dicionário Houaiss e algum bicho esquisito sobre o qual falar. Mas só de vez em quando. Pode me chamar para seus almoços de domingo sem problema 😉

O culto à amada

Cultuo o corpo dela, a minha amada, tão cheio de prazer e fanatismo quanto convém àquele que do nada fugiu, em direção ao hedonismo. Louvo a boca de minha namorada com um louvor parente do extremismo como convém àquele que a cada beijinho menos cede ao pessimismo. Adoro o braço longo, a perna fina, olhar […]