Category Archives: Literatura

A humildade

O lavrador pergunta ao  patriarca de Alexandria: “Pai, o que fazer?” Lhe responde Cirilo: “Filho, deves praticar humidade”. Ah, coitado do lavrador, que não pode fazê-lo!

O cangaço era da Pérsia para o Oriente

O Romance de Alexandre oferece um exemplo ainda mais complexo e impressionante, pois desde os séculos III e IV a incomparável envergadura do herói suscita relatos que o conduzirão não só à Índia, de onde ele escreve a seus preceptor, Aristóteles, mas também ao fundo do mar, ao outro mundo, ao céu. Forma-se assim uma […]

O Arqueólogo

Nabucodonosor ajoelhado observa tensamente sobre a terra um bloquinho de argila já secado – ou melhor, só a ponta. Desenterra o resto da plaquinha com cuidado pois sabe que este barro duro encerra, em marcas já não tão bem definidas, palavras há milênios esquecidas. Com medo de causar-lhe dano, escava a tábua, que lhe impinge […]

Mar

Eu nunca gostei muito do mar. Deve ser coisa de quem nasceu no cerrado, mas o mar também não ajuda. Por exemplo, o mar não é tão romântico quanto se pinta. Veja só, quando minha namorada veio do Distrito Federal para cá, eu lhe dei uma rosa, que ela deixou aqui quando voltou para casa. […]

De um livro a outro

Terminei de ler Crime e castigo esta semana e comecei a ler Orgulho e preconceito. O efeito de começar a ler o livro de Jane Austen depois do de Dostoiévski é semelhante ao de sair de um quartinho escuro de São Petersburgo diretamente para os campos verdejantes de Hertfordshire: os olhos ardem com a luminosidade exagerada. […]

O protesto do ipê

Os ipês em Brasília, tão sisudos que passam quase o ano todo mudos, fiscalizam o clima da cidade com sua verdolenga austeridade. Sua seriedade é tão pesada que, quando a chuva flui e é festejada pelas plantas, que riem se florindo, o ipê se fecha, só verde emitindo; mas quando chega a seca e as […]

Sobre a infanticida Maria Farrar

Maria Farrar, nascida em abril, menor, sem sinais particulares, raquítica, órfã, sem qualquer condenação anterior ao que se julga, é acusada de ter assassinado uma criança, da seguinte forma: Conta ela que já no segundo mês em casa de uma mulher, num sótão, tentou expulsá-lo com duas injeções dolorosas, como se calcula, mas não saíu. […]

Hermes Aquino e a nuvem passageira

Eu trabalho no anexo de um ministério. Por vezes, tenho de ir para o prédio principal do ministério, passando por um corredor. Curiosamente, toda vez que passo pelo corredor, ouço a música Nuvem Passageira, de Hermes Aquino. Isso é perturbador… A despeito disso, adoro essa canção. A letra, em especial, é um poema muito interessante. […]

Mulher de um Homem Só

Alex Castro (o autor de Radical Rebelde Revolucionário) escreveu Mulher de um Homem Só há muito tempo. Tentou lançar o romance através de editoras convencionais. Como não conseguiu, vendeu o livro antes de imprimir, para financiar a primeira edição. Eu, leitor tiete do Liberal Libertário Libertino, comprei um desses volumes. Para ser honesto, não esperava […]

Jornal de Poesia

Usei a Internet pela primeira vez na Escola Técnica de Brasília. Eu estava fascinado pelo novo universo das interwebs. O grande guia, para mim, à época, era o antigo Cadê?. Devo agradecer ao Cadê? por me permitir conhecer o maravilhoso, esplêndido, fascinante, vitaminado e indispensável Jornal de Poesia. Este site possui textos de mais de […]